Uma viagem gastronomica pela França: queijos, monaco e crepe

 

Chegou a tão desejada hora de falarmos sobre as delícias gastronomicas da França. Impossível estar no país e não se deparar ao menos com um lugar que ofereça qualquer uma dessas delícias que nós experimentamos: o famoso queijo francês, o saboroso Monaco e o delicioso crepe. Se você já salivou e com certeza quer saber um pouco mais da história dessas delicias, já prepara o estômago porque chegou a hora de pensar no seu roteiro da culinária francesa!

 

O queijo francês

Vamos começar pelo salgado, sempre. Essa é uma boa tática para começar a abrir o apetite, sabia? Mas olha que curioso, na França, o queijo é servido após o prato principal e antes da sobremesa. Pois é! Nesse caso, já abrimos o apetite faz tempo… Você sabia que os queijos franceses são realmente considerados como um alimento fundamental no dia-a-dia dos franceses? Não é difícil entender o porquê. São mais de 500 tipos de queijos, muitos são registrados e tem a classificação da AOC (Appellation d’Origine Contrôlée) que é o órgão de controle e regulamentação dos queijos. A AOC, certifica e legitima o modo de produção desse alimento verificando o tipo de leite usado, tempo de produção e cura, textura e por aí vai. Cada região da França tem um tipo de queijo que será produzido de acordo com o clima, lugar, tipo de leite e outros tantos fatores. Sempre falamos que, conhecer um país pela sua cultura gastronômica é mais que um ponto positivo na viagem.

A variedade é tanta que fica bem extenso falar sobre cada tipo de queijo mas nós vamos te dar alguns exemplos:

  • Roquefort: é aquele queijo que tem uma aparência de mofado (essa é clássica). De fato, o queijo Roquefort, possui fungos na composição mas, nada que seja prejudicial à saúde. Produzido a partir do leite de ovelha, é um queijo forte e que entra na categoria do queijo azul. É um queijo semi-duro que combina perfeitamente com vinhos de sobremesa.
  • Mont d’Or: tão especial quanto a Fondue, o Mont d’Or literalmente derrete na boca e no procedimento para saboreá-lo. Comprado em peça inteira ele precisa ser aquecido (todo) para que o interior derreta e você possa degustá-lo como se fosse comer Fondue. Basta um bom pãozinho francês e pronto, esse queijo de massa mole e cor amarelo marfim produzido a partir do leite de vaca,  já vai ganhar o seu paladar.
  • Comté: se você prefere queijo na salada, no sanduiche ou mesmo de aperetivo, sem problema. O Comté é o queijo perfeito e um dos mais consumidos pelos franceses. Ele é produzido a partir do leite de vaca e é da categoria dos queijos duros. O mode de produção do queijo Comté é preservado até hoje, a importância dele dentro da história de produção de queijos na França, também. Ele foi o primeiro queijo francês a ter o selo AOC.

Se você ainda não viu a nossa playlist da França, sempre dá tempo de clicar aqui e conferir as nossas experiências!

 

 

 

Um bom Monaco por favor!

Quer uma bebida refrescante, com cara de verão/primavera e de baixo custo? Então o Monaco é a bebida perfeita. Super descontraído, o drink é produzido a partir do xarope de groselha, cerveja pilsen e limonada. A bebida é consumida principalmente na França mas, você pode encontrar na Suiça e na Bélgica. É super simples fazer o Monaco, basta colocar o xarope de groselha no fundo do copo/taça (o que você preferir), aproximadamente 1 colher de sopa. Depois você vai adicionar a limonada, mais ou menos 100ml. Para finalizar, a cerveja pilsen. Prontinho! Existem algumas derivações de ingredientes, mas o básico para fazer um bom Monaco está aqui. Então agora você já sabe um pouco mais sobre essa bebebida de baixo custo e que é mais do que tradicional na França! Ainda tem dúvidas de que ela vai entrar na sua lista de desejos gastronômicos da França?

Adoçando a vida com um bom Crepe francês!

Não tem como negar que, o crepe francês é tão importante na culinária francesa quanto os queijos e o Monaco. Em qualquer banquinha de rua ou mesmo em restaurantes, você vai encontrar alguém fazendo crepe. O nome, significa crespo, que remete diretamente a textura da massa. Um prato que originalmente não tinha requinte nenhum, produzido pelos camponeses e claro, a base de farinha, ovo, leite, açúcar e muita manteiga, acabou ganhando a mesa de grandes restaurantes e assim, derivações mais gourmets. Independente da “gourmetização” do crepe, o modo de preparo ainda é super simples e mantido como tradição: misture o ovo, a farinha e o leite, coloque a massa em uma chapa de metal untada com muita manteiga e jogue para cima. A tradição francesa em torno do modo de preparo é super criativa e indica que quanto mais certinho o crepe caia na superficie de preparo, mais sorte você vai ter!

 



Booking.com

Comments

Comentários

Mirella e Romulo compartilham suas experiências de viagem e trabalho enquanto vivem pelo mundo.

Siga o Travel and Share